Dicas para sua Meditação em 2018

Como foi 2017 em termos de meditação para você? Talvez você tenha começado somente agora a meditar (Parabéns!) e esteja em busca de estabilizar sua prática. Ou talvez você já tenha passado por muitos altos e baixos nos últimos anos e decidiu iniciar 2018 para valer. Certamente haverá alguma coisa que você poderá fazer para melhorar seu envolvimento com a meditação. E o segredo de tudo está na formação de hábitos.

Mas antes de tocar no tema dos hábitos, é preciso refletir um pouco sobre como você vem meditando atualmente.

O período do dia

Você já escolheu o melhor período do dia para você? Ainda que para muitos o melhor período do dia seja logo pela manhã, antes de iniciar qualquer outra atividade, é importante que você faça os ajustes necessários de acordo com seu próprio dia a dia. Cada pessoa tem um tipo diferente de ritmo diário, e a solução de uns pode não ser a melhor solução para outros. No entanto, é importante que você estabeleça um horário em que você saiba que estará livre para meditar formalmente.

O estilo de meditação

Qualquer atividade, para ser mantida e se tornar um hábito, deve conter algum elemento prazeroso em si. Não, não é para imaginarmos que meditação serve para dar prazer e para fugirmos dos obstáculos e desafios do processo meditativo tão logo eles comecem a aparecer. Mas se quando você pensa em meditação tudo o que lhe ocorre são pensamentos de esforço extenuante e emoções difíceis, então você não conseguirá manter a rotina meramente pela força de vontade. Há um limite até onde ela pode nos levar. Isso significa que algum aspecto da técnica, do ambiente ou do resultado devem estimular algum tipo de alegria interior.

Encontrando o estilo certo de meditação para você essa atividade poderá em si mesma ser um estímulo para sua prática. Por vezes você também poderá modificar um pouco do ambiente em que realiza a prática. Poderá colocar uma música antes de começar (mas não vá meditar com música, ok?) ou verbalizar internamente algumas reflexões de gratidão ou benevolência aos seres. Perceba que efeito isso lhe traz. Entender e refletir sobre os benefícios da prática também poderá ser muito estimulante para sua manutenção.

Registrando sua prática

Tenha algum jeito de registrar seu exercício meditativo. Ver que você tem mantido uma prática regular irá estimulá-lo a não parar num certo dia para não quebrar a sequência de conquistas. Manter a regularidade é um dos primeiros passos para realmente progredir na meditação.

Aumente gradualmente

Se nunca praticou meditação, comece com poucos minutos e vá aumentando à medida que veja que se estabilizou na quantidade de minutos do estágio atual. Cinco ou dez minutos pode se um bom começo. Já consegue meditar regularmente? Então aumente mais 5 minutos daqui para frente. Seus passos, apesar de pequenos, serão firmes e seguros. Não adianta ter um arroubo de empolgação, meditar muito num fim de semana e esquecer a prática pelo resto do mês.

A prática deve ser interessante

Sim, meditar melhora o foco, nossa capacidade de concentrar a mente num objeto, evento ou situação. E isso leva gradualmente a um aquietamento. Mas a tranquilização não precisa ser maçante ou sonolenta. Sua prática deve ser interessante, você deve ter vontade de fazê-la por aquilo que ela revela, cultiva, faz descobrir. Se não for assim, você precisará entender o que está faltando para você entender a prática meditativa mais completamente.

* Ricardo Sasaki é psicólogo clínico e um dos professores do NUMI.

no replies

Deixe uma resposta