Observe o Estresse Surgir

O que você faz quando percebe uma tensão, desconforto ou conflito chegando?

Geralmente somos guiados por uma destas duas reações: (a) fugimos… escondemos… fingimos que não está acontecendo, ou (b) preparamos para a luta… reagimos agressivamente… nos irritamos. Ambas as reações são automáticas, nem percebemos que já entramos no modo (a) ou (b). E ambos os modos acabam causando muitos problemas.

Como a prática de mindfulness pode nos ajudar? Na verdade há várias estratégias possíveis.  Mindfulness é se tornar consciente de um modo especial, fora da maneira usual como reagimos às coisas no dia a dia. Esse modo especial não escolhe nem (a) nem (b) como alternativas a uma situação estressante. Fugir ou fingir que não está acontecendo apenas enterra o problema um pouco mais fundo, mas não resolve realmente nada. Reprimir nossas reações ao descontentamento faz com que lá no fundo nos sintamos ainda mais descontentes, contaminando uma camada subterrânea da mente. Reagir agressivamente a tudo que interpretamos como crítica ou hostilidade, porém, apenas aumentará a irritação geral diária. E quanto mais ficamos sensíveis e reagimos ao que nos incomoda, mais encontraremos motivos ao nosso redor para nos irritar, tornando nossa vida uma sucessão crescente de frustração e raiva.

Tornar-se verdadeiramente consciente do que está ocorrendo no momento presente quando um desconforto é notado significa nos abrir para ter clareza da realidade presente. Isso significa clareza tanto em relação ao estímulo externo quanto ao próprio condicionamento mental que interpreta tais estímulos. E ao invés de reagirmos com impaciência ou irritação, escolheremos uma atitude de compreensão, abertura, acolhimento. Num grande número de vezes o modo como vemos uma situação que nos surge é apenas uma fotografia parcial e momentânea do que realmente está acontecendo. Ser capaz de receber uma situação de conflito com paciência e abertura significa dar tempo para conhecermos melhor a situação como um todo.

Um famoso mestre de meditação que conheci no Sri Lanka (o antigo Ceilão) sugere também a seguinte abordagem para lidar com situações tensas. Godwin Samararatne pergunta: “Qual é o oposto de se sentir estressado?” E continua: “Gostaria de sugerir que é quando podemos realmente relaxar com o que está acontecendo. Se você puder realmente aprender a se sentir à vontade com o que está acontecendo, isso será totalmente oposto ao estresse. Isso significa que o homem moderno, a menos que se trate de um praticante [de meditação], ainda não descobriu o caminho para simplesmente relaxar consigo mesmo. Como podemos aprender a relaxar com nós mesmos? Aqui, novamente, uma maneira é você poder realmente fazer uma conexão com a respiração – e, como às vezes eu gosto de dizer – é você tomar a sua respiração como uma amiga. Assim, tão logo você se torna consciente de sua respiração, você apenas a tranquiliza, então, o estresse e a tensão podem simplesmente desaparecer”.

Há várias coisas que merecem ser ressaltadas na passagem acima. Primeiramente, a consciência do relaxamento como oposto do estresse. Se pudermos acessar esse espaço de relaxamento dentro de nós estaremos contrapondo em nossa consciência um estado oposto ao estresse. Oferecendo à consciência uma experiência de relaxamento (que Godwin sugere que pode ser adquirida estando à vontade com o que está acontecendo) encontraremos uma porta de saída da experiência constrita que o estresse impõe. Para isso é importante aprender a se abrir à situação, relaxar diante do momento presente, mesmo quando normalmente reagiríamos à situação segundo as maneiras (a) ou (b). E um modo de aprender a fazer isso é por meio do treinamento meditativo com a respiração. Treinando a fazer da respiração “uma amiga” aprendemos simultaneamente aceitá-la em quaisquer circunstâncias, aceitá-la tal como é, como parte de nós, de nossa experiência. Esse aprendizado, quando treinado de modo regular, com o tempo transbordará para todas as demais experiências, incluindo aquelas de estresse potencial.

O professor Godwin sugere também mais esta abordagem: “Outra ferramenta será de observar como o estresse surge e como o processo ou o mecanismo prossegue. O que normalmente acontece é que estamos resistindo a algo, e isso pode realmente dar origem ao estresse. Então, se você puder, esteja com o estresse e diga para si mesmo, como eu gosto de dizer: ‘Sinto-me desconfortável com o estresse ou outra coisa que estou sentindo, mas está tudo bem em não me sentir bem’. Se você puder realmente fazer isso, então essa continuidade, este círculo vicioso de uma condição dando origem a outra condição, pode ser interrompido e você estará apenas sendo com o que estiver acontecendo”.

Chave para tal sugestão é a aceitação. Aceitação não apenas da situação de estresse em si, mas também aceitação de que não nos sentimos confortáveis com tal situação, e está tudo bem se sentir assim. Ser honestos com nossos sentimentos é o primeiro passo para uma vida mais livre.

* Ricardo Sasaki é psicólogo clínico e um dos professores do NUMI.

♦ ♦ ♦

Neste próximo feriado (Tiradentes) teremos um Retiro de Mindfulness aqui no NUMI. Seu tema será “Insatisfação e Compaixão” e nele serão abordados várias estratégias para se aprender a lidar melhor com o estresse, a frustração, o sofrimento e a falta de compaixão para consigo mesmo e para com os outros. Confira abaixo:

 

RETIRO DE PRÁTICAS DE MINDFULNESS

Nossos cinco sentidos nos conectam com o mundo externo, dos eventos e sensações. Muitos são os convites que chegam até nós, a cada momento, para direcionarmos nossa atenção “para fora”. Em nossa cultura contemporânea, raros são os convites e os momentos que favorecem o olhar  “para dentro”.

No Retiro de Práticas de Mindfulness que o NUMI realizará durante o próximo feriado de Tiradentes (dias 21, 22 e 23 de abril), você será convidad@ a olhar para si, a dirigir sua atenção para o seu corpo, para as sensações, para o seu espaço mental (pensamentos e emoções), e a vivenciar momentos de contemplação, reflexão, trocas, aprendizados e silêncio. Ele é aberto tanto a pessoas que já conhecem e praticam mindfulness quanto àquelas que nunca tiveram contato com a prática.

Mais informações e Inscrições: http://nucleonumi.com.br/retiro-de-praticas-de-mindfulness/

1 reply added

  1. Kate Lane Marques martins 30 de abril de 2017 Responder

    Como estou praticando Mindfulness posso entender e perceber claramente no dia a dia estes fenômenos acontecendo. Perceber, Observar, aceitar e seguir em frente sabiamente.

Deixe uma resposta